...

 

 

Á quase dois anos, quando chegas-te (ou quando eu cheguei) sinceramente não me fizeste diferença nenhuma e acredito que nem eu a ti... Um ano passou rápido sem nunca nos apercebermos de nada...ou talvez o nosso inconsciente se tenha apercebido!

Aquele olhar naquela tarde, e aquela célebre frase, onde te perguntei (que eu pensei que já não te lembravas. mas lembras-te dos pormenores como eu): "O que é que estás a fazer?"

Mais um ano passado e agora pergunto-te: "O que é que estamos a fazer?"

Por mim, a minha decisão é: O que quer que seja, que continue. Por alguma razão é!

Aprendi que não interessa se é amizade, carinho, afinidade,paixão, amor, companheirismo, igualdade, compreensão, bem-estar...seja o sentimento que tivermos devemos ir "atrás" dele. A vida é só uma e passa tão rápido...

 

 

 

O que escrevo não é uma grande história de amor, não é um amor sem fronteiras, nem só uma grande amizade...talvez seja algo que nunca ninguém irá entender, nem mesmo nós! É algo que vive em nós, como um vulcão adormecido...só acorda quando não vem "estragar nada"...

sinto-me:
publicado por voosdeborboleta às 09:48 | link do post | comentar