Ele...

 

 

"Sou auto suficiente, não preciso de um homem para nada. Aliás homens só trazem chatices e desilusões ao final de algum tempo. O Amor acaba sempre mal, por isso se não me apaixonar está tudo bem."

 

Ouvi esta declaração da boca de uma colega. É uma declaração de estagnação, de aceitação sem dúvida. Eu própria quantas vezes já disse...

Mas a realidade é que chegamos a um momento da nossa vida que sentimos "aquela falta", a falta de carinho, de mimo, aquele abraço que nos protege, um olhar que nos mostra amor,um sentimento de cumplicidade e partilha, um amigo verdadeiro companheiro de todos os momentos. Alguém que nos faça sorrir pura e simplesmente porque aparece, por que existe, porque a sua voz ilumina o nosso dia...

Romantismo? Não, realidade!

Todos gostamos de ser amados, sem excepção. A declaração acima não é mais do que uma auto-defesa, sentimo nos protegidos com ela, mas somos terrivelmente vulneráveis.

Uns anos depois...admito, sinto saudade de amar...e ser muito amada!

Não procuro nada, absolutamente, sou feliz e realizada, sem dúvida. Mas a vida não pára e antes que ela pare... Eu quero sentir Amor!

 

 

 

publicado por voosdeborboleta às 16:05 | link do post | comentar