Vacina do HPV já protege cerca de 75 mil portuguesas

Semana Europeia Contra o Cancro do Colo do Útero assinalada esta semana

Dois anos após a entrada da primeira vacina quadrivalente contra o HPV (PapilomaVírus Humano) em Portugal, já foram vacinadas cerca de 75 mil mulheres, 40 mil adolescentes abrangidas pelo Plano Nacional de Vacinação e 35 mil jovens mulheres que fizeram a vacina após prescrição médica. [1]

Em 2009, o Ministério da Saúde alargou as idades de vacinação para as adolescentes com 13 e 17 anos, assim, no final do ano mais 100 mil jovens terão beneficiado da protecção da vacina quadrivalente.

A vacina quadrivalente é a única vacina que, para além do cancro do colo do útero e lesões pré-cancerosas do colo do útero, protege também contra lesões pré-cancerosas da vulva e vagina e condilomas genitais.

Assim, esta vacina irá ajudar no futuro a salvar a vida de muitas mulheres vítimas de cancro do colo do útero e evitar que ainda mais mulheres sofram de lesões pré-cancerosas da vulva e vagina e condilomas genitais.

Ao contrário do cancro do colo do útero estas lesões ocorrem alguns meses após a infecção pelo que o benefício obtido com a sua prevenção terá resultados mais precocemente.[2]

Actualmente, a vacina quadrivalente foi escolhida para integrar o PNV e protege contra o tipo de vírus 6,11,16 e 18. Os tipos 6 e 11 são responsáveis por 90% dos condilomas genitais e 25% das lesões cervicais de baixo grau e os tipos16 e 18 são responsáveis por 75% dos casos de cancro do colo do útero.

Assim, no futuro a vacina vai reduzir, em cerca de 75% o número de casos de cancro causados por estes vírus e a grande maioria dos condilomas genitais.[3]

Estima-se que após o introdução da vacina no PNV em que já foram vacinadas 40.000 jovens nascidas em 1995, terão sido evitados 415 casos de cancro de colo do útero e 3930 casos de verrugas genitais.

No total, se tivermos em conta as mulheres vacinadas por prescrição médica, terão sido evitados 631 casos de cancro do colo do útero e 5881casos de verrugas genitais. [4]

Assim, dois anos após a entrada no mercado português, a vacina tem um papel fundamental na prevenção das doenças provocadas pelo HPV a médio e longo prazo.

 

 

 

20 de Janeiro de 2009

 

 

[1] Estimativa feita com base nas vendas do produto

[2] UK Health Protection Agency. Site available onlineDiagnosis of selected STIs by region, sex and age group. United Kingdom:1996-2005

[3] Ferlay et al, editors. Globocan 2002

[4] Estimativa feita com base em modelo fármaco-economico desenvolvido para avaliar impacto das vacinas.

 

Texto retirado daqui

sinto-me: Com esperança
publicado por voosdeborboleta às 15:03 | link do post